Categorias
Geral

O roteirista do Batman pergunta “E se Batman fosse real?” na nova série de quadrinhos



(Crédito da imagem: DC)

Batman: The Imposter, o que a DC chama de “visão única” e “um olhar novo e diferente sobre o guardião de Gotham quando ele começa sua guerra contra o crime”, é uma série limitada de formato de prestígio com três edições lançada em outubro.

Embora não seja mencionado pela editora no anúncio, de acordo com as imagens da capa fará parte do selo de leitores maduros do Black Label da DC.

Batman: The Imposter # 1 cover de Andrea Sorrentino (Crédito da imagem: DC)

O grande conceito da série é examinar Batman através das lentes de tentar fazer com que ele e Gotham City pareçam o mais reais possível.

De acordo com a DC, a estreia à venda de ‘dia e data’ em 12 de outubro em impressão e digital será espelhada por versões “impressas localizadas” da série em 13 territórios – Argentina, Brasil, México, Rússia, República Tcheca, Polônia, Turquia, Japão, Coreia do Sul, Alemanha, Espanha, Itália e França.

A DC já se manifestou ao anunciar que a série será coletada em uma edição de capa dura em 22 de fevereiro de 2022.

Batman: The Imposter foi escrito pelo diretor de cinema e roteirista Mattson Tomlin. DC lista seus créditos como Project Power e Little Fish em seu anúncio, mas, curiosamente, nem menciona que Tomlin é creditado por IMDB e fontes como o Hollywood Reporter como roteirista de The Batman, o diretor Matt Reeves reinicia estrelado por Robert Pattinson que estréia em 4 de março de 2022.

As próprias notas de produção da Warner Bros. apenas listam Reeves como o único roteirista do filme.

Batman: O Imposter é ilustrado por Andrea Sorrentino, que começou sua carreira em Gotham City em títulos relacionados ao Batman, como o do escritor Jeff Lemire Coringa: Sorriso Assassino e Batman: o assassino do sorriso.

DC diz que Sorrentino criou uma “versão dura e corajosa de Gotham City, onde cada soco deixa um osso quebrado e cada ação tem consequências muito, muito além da imaginação de Batman!”

Batman: The Imposter # 1, capa da variante de Lee Bermejo (Crédito da imagem: DC)

A história se passa no início da carreira de Batman durante o primeiro ano ou mais, mas o novo Cavaleiro das Trevas está vendo os resultados positivos de sua guerra contra o crime. O que, claro, o torna inimigo de alguns jogadores muito poderosos de Gotham City, que não gostam do que o Batman está fazendo para atrapalhar seus planos.

“… e parece que um deles tem um plano para neutralizá-lo”, diz a descrição da DC.

Mas meio que no espírito de algumas das cenas de abertura de Os Cavaleiros das Trevas, há um segundo Batman aparentemente inspirado por Bruce Wayne e este outro Batman “não tem escrúpulos em assassinar criminosos, ao vivo e na fita”.

“Com todo o poder do Departamento de Polícia de Gotham City e os ricos e poderosos de Gothams caindo sobre sua cabeça, Batman deve encontrar esse impostor e de alguma forma limpar seu nome”, continua a descrição de DC. “Mas como você pode provar sua inocência por trás de uma máscara?

“Como um fã de longa data do Batman, colocar minha versão em Gotham City foi um sonho que se tornou realidade”, disse Tomlin. “Tomando a questão de ‘E se Batman fosse real?’ tanto quanto narrativamente possível, conjurou um potencial incrível que não foi explorado recentemente nos quadrinhos. Batman: O Imposter trata Bruce Wayne e as pessoas ao seu redor como tragicamente falho e vividamente real, com os obstáculos que Batman enfrenta vindo de uma realidade que espelha de perto nosso próprio.”

Sorrentino fornecerá a capa de Batman: The Imposter # 1 com uma capa variante de Lee Bermejo.

Confira uma prévia da arte do interior de Sorrentino em nossa galeria.

Imagem 1 de 4

Batman: o impostor

(Crédito da imagem: DC)
Imagem 2 de 4

Batman: o impostor

(Crédito da imagem: DC)
Imagem 3 de 4

Batman: o impostor

(Crédito da imagem: DC)
Imagem 4 de 4

Batman: o impostor

(Crédito da imagem: DC)

Por falar em versões mais reais do Batman, o Newsarama examina A complicada história do Batman com armas.

Michael Doran

Não sou apenas o fundador e editor-chefe da Newsarama, também sou um leitor. E essa referência é um pouco mais velha do que o início da minha jornada Newsarama. Eu fundei o que viria a ser o site de notícias de quadrinhos em 1996 e, exceto por uma breve passagem pela Marvel Comics como gerente de marketing e comunicação em 2003, tenho escrito sobre novos títulos de quadrinhos, mudanças criativas e, ocasionalmente, oferecendo minha perspectiva em eventos e desenvolvimentos importantes da indústria nos 25 anos desde então. Apesar de muitas mudanças no Newsarama, minha paixão pelo meio de histórias em quadrinhos e os personagens faz com que o último quarto de século (é uma loucura ver isso escrevendo) tempo gasto fazendo o que eu mais amo.

Fonte: www.gamesradar.com

Deixe uma resposta